Carta Aberta Sobre as Alterações do FSA Anunciadas no dia 28.02.2018

Acompanhamos com atenção e preocupação o anúncio feito pelo Ministro da Cultura sobre alterações a serem feitas nas linhas de fluxo de contínuo do FSA – Fundo Setorial do Audiovisual e demais mudanças no que tem sido chamado de FSA 2.0.

Em evento realizado pelo SICAV – Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual e pela BRAVI – Brasil Audiovisual, no começo desta semana no Rio de Janeiro, foi apresentado, de modo superficial, que a ANCINE – Agência Nacional de Cinema deixaria de analisar o mérito das propostas apresentadas nestas linhas, delegando para que canais de TV e distribuidoras a seleção do conteúdo a ser exibido.

Deste modo a ANCINE se limitará a definir o montante dos recursos financeiros que cada produtora poderá acessar de acordo com seu perfil. Em sua apresentação, a ANCINE indicou que irá trabalhar em faixas de investimento que variam de R$ 1 milhão a R$ 6 milhões para projetos de ficção e animação e de R$ 400 mil a R$ 1,5 milhão para documentário e que irá classificar as produtoras para que possam acessar tais faixas.

Nossa preocupação principal diz respeito à eventual enclausuramento de produtoras menores ou mais jovens na primeira faixa de investimento que apresenta valores que inviabilizam de fato a produção de séries de ficção e animação. Convém observar que estes valores são inferiores ao que hoje se considera um projeto de baixo orçamento e conflitua tanto com a Lei do Audiovisual quanto com a Instrução Normativa nº 119, de 16.06.2015 que permitem que esses agentes captem até R$ 5 milhões para seus projetos.

A se manter o que ali foi proposto teremos uma concentração da produção deste tipo de conteúdo pelas maiores produtoras com a consequente exclusão dos demais agentes.

Além disso, é motivo de preocupação o modo como serão avaliadas as produtoras já que os critérios apresentados parecem considerar apenas o passado de cada empresa (contabilizando apenas o que esta já produziu e conseguiu veicular), com a grave omissão de não considerar a produção de curta-metragens, e ignorando tudo aquilo que está sendo produzido no presente, na maioria absoluta das vezes com apoio de outras linhas do próprio FSA. Tal medida reforça o favoritismo de produtoras de trajetória consolidada no passado sem valorizar a proliferação de novos agentes que vem movimentando a economia e garantindo que o setor seja dos mais rentáveis no país.

Avaliamos que um dos maiores acertos da ANCINE foi ter diversificado seus investimentos permitindo o surgimento e consolidação de centenas de novas produtoras de conteúdo no Brasil, que não só ampliaram a cadeia de geração de emprego e renda como garantiram uma maior pluralidade de conteúdos produzidos, promovendo um salto qualitativo inegável na produção nacional.

Para evitar que se dê uma concentração injusta e indesejada no mercado de produção e garantir que todas as produtoras possam de fato produzir projetos de animação e ficção, sugerimos que o teto de captação via FSA para as produtoras de primeira faixa seja de R$ 5 milhões e que sejam computados para avaliação das produtoras todos os projetos já aprovados pelo FSA, inclusive os das linhas de desenvolvimento, incluindo-se aqui também empresas produtoras e associadas a tais projetos que não sejam as proponentes responsáveis perante a ANCINE, desde que comprovada sua veiculação à produção.

Deste modo poderemos garantir tanto a viabilidade de diversos projetos que estão sendo desenvolvidos com recursos do próprio FSA quanto a continuidade de negociações que diversas produtoras menores já estão tocando com os canais e distribuidoras, permitindo assim seu crescimento e fomentando uma concorrência justa que será benéfica para todos os agentes do setor, sobretudo para o mercado e seu público.

Obs.: para assinar a essa carta aberta, basta mandar um email para:  cartaancine@gmail.com  ou  frederico@sangue.tv
Indicar NOME, PRODUTORA (se for o caso) e ENTIDADE/ASSOCIAÇÃO (se for o caso).

Abaixo-assinado os apoiadores:

Frederico Neto – Sangue TV
Camila Agustini – Lajota Criativa
Gustavo Colombo – Cinema Petisco – ABRA
Leandro Ferra – Quadro-Chaves Produções

Henrique Barone – Quadro-Chaves Produções
Eric Platenik, Photoescrita
Vitor Pimentel, Cinema Petisco
Marcelo Marão – Marão Desenhos Animados
Nelson Settanni – AVEC (ABD/PR)
João “TIR” Horst – Sangue TV
Valu Vasconcelos – Valu Animators Studios
Daniel Maciel
Antonio Paiva Filho
Leo Garcia – Coelho Voador – SIAV
Joaquim Castro
Estevão Meneguzzo – Cajamanga Filmes
Carlos Alberto Ratton
Luis Lomenha – Jabuti Filmes
Mercia Britto – Cinema Nosso
Janaína Fisher – roteirista – ABRA
Luciana Bezerra
Rafael Campos Rocha – roteirista, desenhista e escritor
Fábio Martins de Oliveira – Gaia CineVideo Produções e Eventos
Beatriz Azevedo Tanner de Abreu – Gaia CineVideo Produções e Eventos
Vivianne Marques – Curtiu Produções
Karla Fassini  – Curtiu Produções
Juliana Ludolf – editora
Tomás Fleck
Juliana Gabriele de Carvalho e Oliveira – editora
Daniela Araujo – BemTv Produções
Jaqueline M. Souza – Usina Audiovisual/ Tertúlia Narrativa
Tiago Cordeiro – Scriptograma
Ismael Machado- Montagem Paralela
Cesar de Farias Barbosa – Kaplow Studio
Joao Henrique Rezende Castro – Kaplow Studio
Mariani Batista da Silva Ferreira – roteirista
Paulo Augusto Mendes – Produtor
Roberta Miller – Millerbaum
Pedro Ekman – Molotov Filmes
Elvira Rocha – Lavinia Filmes
Toni Dias – Sonho Transmidia
Letícia Friedrich – Boulevard Filmes
Fabrício Gallinucci – Perigo Filmes
Diego Leite Lima
Guilherme Severo – Perigo Filmes
Amanda Baião
Silvio Arnaut – Lorenzo e Arnaut Produções
Pablo Guimarães Costa – Floresta Cine Vídeo

Sonia Maria Pereira Guimarães – Floresta Cine Vídeo
Ilson Duarte da Silveira Junior – Singularidade Audiovisual
Michelle Raja Gebara – Raja Gebara Pictures
Daniel Barbosa – Alibi Filmes e Produções
Rodrigo de Vasconcellos – Maquinário Narrativo – ABRA
Ulisses Mattos – Roteirista – ABRA
Creuza Gravina – GravinArt
Rodrigo Carneiro – Carneiro Verde Filmes
Gustavo Vinagre – Marimbondo Verde Filmes
Pedro Perazzo – Vatapá Produções – ABRA
Victor Lima
Mariana Tesch Morgon – roteirista
Emanuel Isaías Perez Barroso – Estúdio À Deriva
Emiliano Cunha – Realizador – APTC/RS
Alexandre da Silva Matos – Estúdio À Deriva
Pedro Soares Gusmão – Cinematográfica Sustentável
Kellen Casara – Abaute Produções
Rocky Gomes – Abaute Produções
Clemilson Farias – Leão do Norte Consultorias e Produções Audiovisuais.
Vilma Warner – Cineasta SP
Leandro Matos – A (Pequena) Fábrica de Filmes
Diogo Cronemberger
Lucas Bonolo
Ana Vidigal – Duda Filmes – 
Pres. ABDeC-AP
Ariane Mondo – Jatobá Filmes
Camilo Cavalcanti – Clariô Filmes
Associação de Video e Cinema do Paraná – AVECPR (ABD-PR)
Carlos Barbosa – Leão do Norte Consultorias e Produções Audiovisuais
Silvia Godinho – diretora e roteirista – Oficina de Criação (MG)
Alcione Koritzky – Letras & Sons Comunicação
Kiwi Bertola – Plano9 Filmes & Inseptos Filmes
Igor Pitta Simões – PittSim Produções
Iur Gomes – Olisipo Filmes
Daniel Almeida –
 Cortô Audiovisual
Antonio Martendal – l’avant filmes
Associação Curta Minas/ABD-MG
Ocimar Falcão – Produtor Cultural
Yuri Amorim – Kinera Produções Artísticas
Luciano Popadiuk – Bandeide / PAV 2016 IFPR
Sérgio Azevedo – CAFÉ PRETO FILMES
Betina Azevedo – CAFÉ PRETO FILMES
Leandro Cordeiro – CAFÉ PRETO FILMES

 

 

 

 

 

 

 

 


 


 

 

 

Frederico Neto
Difusor Cultural na Sangue TV | 55(41)99132-5995

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *